OFERECIMENTO:
Maratá - Terça-Feira, 22 de Julho de 2014 - Hora:19:31

Adaptação: Médica cubana quer aprender Alemão

A profissional já se sente à vontade em meio à comunidade de Maratá

Isabel já se sente à vontade em Maratá e pensa em aprender Alemão

Quando soube que vinha para o Brasil, a médica Isabel Abreu Chirino logo imaginou pessoas de pelo morena dançando ao som do samba. Mal sabia ela que, depois de passar quatro anos em uma comunidade pobre da Venezuela, iria parar numa pequena cidade de colonização germânica no sul do país. Agora, já ambientada com a população de Maratá, cuja maioria é loira e de olhos claros, ela se empolga em conhecer mais da cultura deste povo. “Quero inclusive aprender a falar em Alemão, para me comunicar melhor”, declara.

Cubana, da província de Matanza, Isabel tem 34 anos e traça algumas comparações entre os trabalhos realizados na Venezuela e no Brasil. Além da situação econômica totalmente contrastante entre os dois locais que atendeu, a incidência de doenças também tem suas peculiaridades. “Cada região tem suas doenças particulares. Na localidade que eu atendia na Venezuela era muito frequente a Doença de Chagas, e aqui o que me preocupa mais são os casos de doença mental”, explica.

“Alles gut”
Além de atender no Posto de Saúde de Maratá entre 8h e 17h, Isabel faz também atendimento nas casas de pacientes que tenham dificuldade de locomoção. Em grande parte das residências do interior do município ela encontra pessoas que só se comunicam em Alemão. Para a comunicação, Isabel conta com a ajuda da enfermeira. “Eu já arrisco um ‘alles gut’, mas ainda não consigo me comunicar corretamente, e a enfermeira me ajuda. Eu quero começar a estudar Alemão, afinal o que se aprende nunca é demais”.

A cubana já se sente bem à vontade na comunidade marataense. Sentiu-se muito bem acolhida, e já fez inúmeros amigos, com quem costuma passar o tempo livre. “Eu só tenho que agradecer ao acolhimento que tive aqui. É incrível. Estou muito feliz”, declara, salientando que já toma chimarrão e gosta de churrasco. “As temperaturas frias que fazem aqui, eles compensam com muito calor humano”, observa Isabel, a médica cubana de Maratá.

OFERECIMENTO:

colunas e blogs

o Vale quer saber

Não há enquetes disponíveis para votação no momento


Escritório Comercial S. S. do Caí:
Avenida Dr. Bruno Cassel, 179
Fone / Fax: (51) 3635-1900

Escritório Comercial Montenegro:
Rua Oswaldo Aranha, Via Verde, 1467
Fone / Fax: (51) 3632-9680

Administração:
Rua Fato Novo, Nº 11
Fone / Fax: (51) 3635-1428

Contato
Todos os Direitos Reservados | Jornal Fato Novo | Vale do Caí | RS | Por Nigma Agência Digital