OFERECIMENTO:
Pelo Vale - Terça-Feira, 15 de Julho de 2014 - Hora:19:28

As câmeras que prendem: Prisões comprovam a eficiência do videomonitoramento

Municípios planejam implantar e ampliar filmadoras

Uma única câmara monitora ruas do centro da Feliz

A prisão de três indivíduos, que estavam com carro roubado e tentaram furtar outros veículo no centro da Feliz na manhã do último domingo, dia 13, comprovou a importância do videomonitoramento para a segurança das cidades da região. Uma filmadora, instalada no centro, flagrou o momento que o ladrão entrou no veículo e pela placa foi descoberto que estavam num automóvel furtado em Caxias do Sul. Rapidamente uma viatura foi até o local e, além de evitar o furto, os três acusados foram presos.

A filmadora foi instalada no centro da Feliz em agosto do ano passado e mesmo sendo uma única câmera tem trazido ótimos resultados. Já flagrou outros delitos e com certeza inibe a ação de criminosos, que vão pensar duas vezes antes de agir numa cidade com “olhos eletrônicos”. “É como se multiplicasse a presença dos policiais na cidade”, entende o capitão Oberdan do Amaral Silva, comandante da 2ª Companhia do 27º BPM da Brigada Militar, que defende a ampliação do sistema. Oberdan lembra de um projeto com nove câmeras, instaladas em pontos estratégicos da cidade, como nas principais ruas, entradas e saídas. Em reunião ontem, terça-feira, com o prefeito Albano Kunrath, ele solicitou a ampliação do videomonitoramento, com o apoio do município e empresas da cidade.

Desde a instalação da câmara, cedida pela empresa Bommtempo Tecnologia e Informação, não aconteceram mais crimes graves na Feliz. Pelo menos na área vigiada. Se já existisse videomonitoramento antes, provavelmente as explosões de bancos, ocorridas em 2011 e 2012, não teriam ocorrido. Por isso é importante garantir e ampliar o sistema.


Cinco câmeras
Em Bom Princípio, o videomonitoramento começou a funcionar em maio deste ano. Cinco câmeras, instaladas na área central, Parque Municipal e no bairro Santa Teresinha, são monitoradas pela Brigada Militar. O investimento inicial foi de R$ 98 mil, com recursos oriundos da última Festa do Moranguinho. E em pouco tempo as filmadoras já estão dando resultado.

“As ocorrências diminuíram cerca de 30%”, calcula o comandante da Brigada Militar na cidade, tenente Ubiraci Martins Machado.

As câmeras de Bom Princípio também são da empresa Bommtempo. E conforme a Prefeitura já existem estudos para ampliar o sistema, prevendo a instalação de 14 filmadoras, principalmente nas entradas e saídas da cidade.

Os pioneiros
Ainda em 2008, Pareci Novo foi pioneiro na região ao instalar filmadoras perto dos bancos, Ginásio Municipal, Brigada Militar e Polícia Civil. Já em 2011 foi a vez de Tupandi colocar cinco câmeras. Como eram equipamentos e sistemas mais antigos, devem receber melhorias, para garantir o funcionamento com eficiência.

Mesmo nos municípios menores o videomonitoramento é importante. Exemplo é Linha Nova, menor cidade da região e com mais baixo índice de violência, que já está com projeto de videomonitoramento pronto, devendo ter câmeras instaladas em breve.

Nas maiores cidades, como Montenegro e Caí, seria ainda mais importante, mas os projetos ainda não saíram do papel.

Também existia um projeto regional, elaborado pela Brigada Militar e Consórcio Intermunicipal (CIS/Caí), buscando verbas federais para interligar todo o Vale do Caí num sistema integrado de videomonitoramento. A expectativa era conseguir R$ 15 milhões para cerca de 200 câmeras em vinte municípios. Mas os recursos nunca vieram. (GSB)

Recurso federal
No Caí, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) vem trabalhando há bastante tempo em busca da implantação de um sistema de videomonitoramento para a cidade. Já promoveu várias reuniões, até que surgiu a proposta do senador Paulo Paim que poderá solucionar o problema.

O senador ofereceu-se para apresentar emenda parlamentar visando a implantação do sistema com recursos federais. A emenda, que já está sendo encaminhada, é no valor de R$250 mil e a verba será destinada à prefeitura, que será responsável pela contratação de uma empresa capacitada para esse serviço.

A CDL pretende acompanhar o andamento da emenda e, mais tarde, a licitação que haverá de ser feita para a concretização do projeto.

O caiense Santos Fagundes, que é assessor do senador Paim, também assumiu a tarefa de dar acompanhamento na tramitação da emenda parlamentar. A perspectiva é de que a verba seja recebida em 2016 ou, talvez, em 2015. (RK)

CPI na Câmara
Desde o mês de junho a Câmara de Vereadores de Montenegro formou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os motivos que levaram ao cancelamento do contrato de instalação de um sistema de videomonitoramento na cidade. A Administração anterior fez o processo de licitação e contratou a empresa vencedora. Porém, logo que assumiu, o prefeito Paulo Azeredo cancelou o contrato alegando disparidade nos preços apresentados pela empresa vencedora e os praticados pelo mercado.

Ao todo a CPI já ouviu cinco pessoas sobre o assunto, incluindo comandantes da Brigada, diretor de informática da Prefeitura, engenheiro e empresário. Mais depoimentos estão previstos para a próxima segunda-feira.

E nesta quarta-feira ocorre na Câmara de Montenegro uma reunião com a direção do CIS/Caí e Amvarc, para saber se há tramitação de ações no âmbito destas entidades, visando a implantação do videomonitoramento com abrangência regional. (JB)

OFERECIMENTO:

colunas e blogs

o Vale quer saber

Não há enquetes disponíveis para votação no momento


Escritório Comercial S. S. do Caí:
Avenida Dr. Bruno Cassel, 179
Fone / Fax: (51) 3635-1900

Escritório Comercial Montenegro:
Rua Oswaldo Aranha, Via Verde, 1467
Fone / Fax: (51) 3632-9680

Administração:
Rua Fato Novo, Nº 11
Fone / Fax: (51) 3635-1428

Contato
Todos os Direitos Reservados | Jornal Fato Novo | Vale do Caí | RS | Por Nigma Agência Digital