OFERECIMENTO:
São José do Sul - Quarta-Feira, 18 de Janeiro de 2017 - Hora:14:57

Brigadiano sofre tentativa de homicídio durante abordagem

Homem golpeou soldado com facão e efetuou diversos disparos com a arma da própria vítima

Bala que atingiu vidro traseiro de Vectra pode ter partido de outra arma /Polícia Civil/FN

A abordagem de uma moto e de um carro em movimentações suspeitas por um brigadiano à paisana, por volta das 21h30 da última terça-feira, quase acabou em tragédia em São José do Sul. Após sofrer um golpe de facão no pulso direito, o soldado Guilherme Kullmann perdeu sua arma, uma Taurus, que acabou sendo usada pelo suspeito contra o policial.

Teriam sido efetuados 12 tiros. As balas somente atingiram o automóvel de Kullmann, um GM/Corsa Sedan, placas DWP 9388, de Montenegro, onde o policial militar se abrigou após ser surpreendido. Assim que notou que o seu agressor, Antônio Olair Ribeiro Plácido, o “Tortinho”, havia ficado sem munição, o soldado reagiu e imobilizou o agressor, até a chegada de reforço policial vindo de Salvador do Sul.

Antônio Plácido, 44 anos, morador de Teutônia, foi encaminhado a DPPA de Montenegro para ser ouvido – negou-se a dar qualquer declaração - e autuado por tentativa de homicídio. Na sequência, foi transferido para o sistema prisional. Ele já tem uma ampla ficha policial, com envolvimento em casos de estelionato e lesão corporal.

Conforme relato do brigadiano, ele estava seguindo no sentido Montenegro/São José do Sul, quando, nas proximidades da estrada de acesso a Harmonia, viu os dois veículos estacionados e desconfiou de um possível envolvimento com casos de furtos e roubos ocorridos, recentemente, na região. Na moto, estava Tortinho, que, prontamente, reagiu usando um facão.

Já o GM/Vectra, placas IET 2062, de Sapiranga, pertence a Moisés Raupp dos Santos, 40 anos, que alegou também ter sido vítima de agressões de Tortinho. Em seu depoimento, Santos afirmou que escutou um barulho forte na parte traseiro do carro que conduzia, há poucos metros de sua casa, e desconfiou de que poderia ser vítima de um assalto. Assim que parou, teria recebido golpes de facão na cabeça, mão esquerda e nas costas, mas conseguiu fugir até sua casa e contatar a Brigada pelo 190.

Mais versões, contudo, surgiram para o fato, conforme a investigação conduzida pela Delegacia de Polícia de Salvador do Sul. “Parece que os dois homens – Tortinho e Moisés dos Santos – já tinham um desentendimento antigo. Como o acusado afirmou que só iria se pronunciar em juízo, fica difícil entender porque os dois estavam juntos lá”, relata o inspetor Leandro de Oliveira. Outra questão que chamou atenção é o fato de que os brigadianos chamados para dar suporte no atendimento à ocorrência disseram que foram informados de que a confusão havia sido ocasionada por um acidente de trânsito.

O veículo de Santos pode ter sido atingido pelo disparo de uma outra arma. Tanto o projétil localizado no veículo, quanto a pistola que o brigadiano portava irão passar por perícia.

Quem também parece não estar muito satisfeito com as primeiras explicações dadas para o caso é o comando do 5º BPM, que instaurou um Inquérito Policial Militar. A conduta é o modo de atuação do soldado Guilherme Kullmann não estariam de acordo com a técnica policial. Além de não estar fardado, agiu sozinho. Em caso de abordagens na rua, o recomendado é que sejam feitas por mais de um policial.

OFERECIMENTO:

colunas e blogs

o Vale quer saber

O Vale do Caí está preparado em caso de desastres naturais como o da semana passada?
Sim
Não


Escritório Comercial S. S. do Caí:
Avenida Dr. Bruno Cassel, 179
Fone / Fax: (51) 3635-1900

Escritório Comercial Montenegro:
Rua Oswaldo Aranha, Via Verde, 1467
Fone / Fax: (51) 3632-9680

Administração:
Rua Fato Novo, Nº 11
Fone / Fax: (51) 3635-1428

Contato
Todos os Direitos Reservados | Jornal Fato Novo | Vale do Caí | RS | Por Nigma Agência Digital