OFERECIMENTO:
Pelo Vale - Quarta-Feira, 23 de Maio de 2018 - Hora:08:00

Caminhoneiros e agricultores fazem protesto contra o aumento dos combustíveis

Bloqueios ocorrem na RS 122 no Caí e na RSC 287 e BR 386 em Montenegro

No Caí, o bloqueio da RS 122 causou fila de 1,5 quilômetro | Renato Klein/FN

A semana começou com protestos contra os constantes aumentos no preço dos combustíveis. No Vale do Caí, na segunda-feira e também ontem algumas rodovias chegaram a ser bloqueadas em manifestações organizadas por caminhoneiros e produtores rurais, o que gerou congestionamentos. E mesmo com os protestos, que têm ocorrido em todo o país, na terça-feira teve mais aumento nos combustíveis.

Bloqueio na RS 122
No domingo já correu a notícia pelas redes sociais de que haveria um bloqueio da rodovia RS-122, no Caí, impedindo o trânsito de veículos na rodovia. A razão dos protestos foi o aumento no preço dos combustíveis que, aliado à recessão ocorrida no país, está inviabilizando o trabalho dos caminhoneiros autônomos e provocando diminuição do emprego para os motoristas. O protesto, na altura do quilômetro 16, defronte a Construtora Sulprecol, no bairro Rio Branco, foi organizado pela Associação dos Motoristas do Vale do Caí.

A manifestação começou por volta de 6 horas da manhã de segunda-feira com uma barreira humana que impedia a passagem de veículos nas proximidades do viaduto existente na cidade. Com a rodovia bloqueada, chegaram a se formar filas de veículos com até um quilômetro e meio de comprimento, nas duas direções. Os caminhoneiros eram convidados a aderir ao movimento, parando seus veículos. Era permitida a passagem apenas de automóveis e ônibus. A Polícia Rodoviária e Brigada Militar acompanharam a manifestação garantindo a segurança. O bloqueio foi feito de modo organizado e tranquilo. Mas por se tratar de uma rodovia de intenso trânsito, o protesto causou repercussão e virou notícia estadual e nacional. Ontem, terça-feira, o protesto continuou, com os caminhões sendo parados e ficando estacionados ao longo da rodovia, formando uma grande fila. Como a greve é por tempo indeterminado em todo o país, o protesto poderá continuar ao longo da semana.

Entre as reivindicações dos manifestantes estão: pedido da revogação do decreto que deu total liberdade na política de preços para o aumento do combustível; reduzir a zero a alíquota de PIS e Confins sobre combustíveis; apoio na PL que criou preços mínimos de transporte de carga e ao artigo da lei que define aos motoristas serem suspensos de pagar pedágio sob o eixo suspenso em praças de pedágio.

RS 287 e BR 386
Em Montenegro já teve manifestação na semana passada, quando caminhoneiros cruzaram os braços e estacionaram seus caminhões na margem da RSC 287, na altura do bairro Cinco de Maio. Na última segunda-feira um novo protesto ocorreu também na RSC 287, mas desta vez na frente da loja Taqi, na altura do bairro Santo Antônio. Além de caminhoneiros, participaram também agricultores. Todos reclamando dos constantes aumentos de combustíveis e das condições das estradas, inclusive do interior do município. O preço do diesel estaria inviabilizando o transporte dos produtos agrícolas e também dificulta na utilização de tratores e máquinas. Em alguns casos, tratores chegaram a ser colocados na carroceria de caminhões, mostrando a união entre caminhoneiros e agricultores.

O trânsito chegou a ser interrompido por alguns momentos na RSC 287, o que causou congestionamentos. Foram utilizados pneus e faixas, mas a manifestação foi pacífica e ganhou o apoio de quem transitava pela rodovia. O protesto continuou ontem, terça-feira, em dois pontos da RSC 287, na altura dos bairros Santo Antônio e Cinco de Maio.

Na BR 386 (Tabaí/Canoas), também tem ocorrido protesto de caminhoneiros na altura da localidade de Vendinha, junto da divisa entre Montenegro e Triunfo. Em outras rodovias do Estado e do País também estão ocorrendo os mesmos protestos.

Vai baixar?
No início da semana chegou a ser anunciado um novo aumento dos combustíveis, com a gasolina subindo 0,9% e o diesel 0,97%. Isso gerou ainda mais revolta, pois foi o 11º aumento do preço da gasolina nos últimos dezessete dias. Ao longo deste mês de maio, o preço da gasolina já subiu 16,07%. Já o óleo diesel acumula alta de 12,3% desde o dia 1º de maio, sendo sétimo aumento consecutivo do produto. A Petrobras atribui as elevações de preços às oscilações do preço do barril do petróleo no mercado externo.

Em razão dos protestos, a Petrobras anunciou ontem uma redução no preço dos combustíveis. A partir de hoje, quarta-feira, deve ter uma queda de 2,08% na gasolina e 1,54% no diesel. Foi a primeira redução após cinco dias de altas consecutivas. Mas ainda não se sabe como será a variação nos próximos dias.

OFERECIMENTO:

colunas e blogs

o Vale quer saber

Não há enquetes disponíveis para votação no momento


Escritório Comercial S. S. do Caí:
Avenida Dr. Bruno Cassel, 179
Fone / Fax: (51) 3635-1900

Escritório Comercial Montenegro:
Rua Oswaldo Aranha, Via Verde, 1467
Fone / Fax: (51) 3632-9680

Administração:
Rua Fato Novo, Nº 11
Fone / Fax: (51) 3635-1428

Contato
Todos os Direitos Reservados | Jornal Fato Novo | Vale do Caí | RS | Por Nigma Agência Digital