OFERECIMENTO:
Marat - Tera-Feira, 08 de Agosto de 2017 - Hora:08:00

Destruição e pânico em novos ataques a bancos

Ação causou sérios danos a agências do Bradesco e do Banrisul

Unidade do Bradesco, situada ao lado da nova sede da Brigada, ficou, praticamente, em ruínas /Reprodução/FN

Os moradores do centro de Maratá voltaram a viver momentos de muita tensão, no início da madrugada do último sábado, por conta de uma nova onda de ataques a estabelecimentos bancários. Em sequência, um bando com pelo menos cinco elementos encapuzados e fortemente armados agiu nas agências do Banrisul – que já havia sido alvo no mês passado – e do Bradesco, que ficou com sua estrutura, seriamente, danificada.

Mais uma vez, para intimidar qualquer reação por parte de populares, tiros foram dados para o alto pelos criminosos, que teriam partido em fuga num Toyota/Corolla de cor preta. Não está descartada a utilização de outros veículos pela quadrilha, um deles de cor branca. Miguelitos foram espalhados em estradas próximas para atrapalhar perseguições policiais.

Apesar da violência da ação, ninguém sofreu ferimentos. Informações quanto ao valor furtado nos bancos não foram divulgadas. A Brigada Militar chegou a realizar buscas na região, mas sem encontrar os elementos envolvidos nos ataques.


Gritos parecidos
O delegado Marcos Eduardo Pepe estava de plantão na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Montenegro e foi a Maratá, onde acompanhou o levantamento do Instituto Geral de Perícias (IGP) e o início das investigações pelos agentes da 1ª Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC), de Porto Alegre. Segundo ele, populares ouviram que os bandidos ficaram furiosos com o pouco dinheiro que teria no Bradesco e por isso decidiram explodir também a agência do Banrisul que ainda não estava com suas obras de reforma totalmente concluídas depois da destruição do ataque ocorrido em julho.

Apenas um caixa eletrônico estava em funcionamento no Banrisul. Como se trata de uma quadrilha especializada, que provavelmente já realizou outros ataques no Estado, a investigação vai seguir com o DEIC. Não se descarta, inclusive, que seja a mesma quadrilha que explodiu o banco no mês passado. “Populares acharam semelhança na voz dos gritos”, afirmou Pepe, na comparação com os dois ataques que levaram pânico à comunidade.

Imagens de câmeras de casas e residências próximas estão sendo analisadas. Moradores chegaram a encontrar oito cartuchos de fuzil e outras armas que foram disparados, alguns nas proximidades de residências.

A Polícia Civil pede que se alguém tiver mais alguma informação ou imagem que possa ajudar nas investigações que entre em contato com o 3649 0000 da DPPA ou com o 190 da Brigada, mesmo de maneira anônima, para contribuir no sentido de se tentar chegar à identificação e prisão dos criminosos.

O delegado Pepe ainda lamenta a falta de investimentos em segurança. A Brigada Militar, com pouco efetivo, tem procurado realizar patrulhas noturnas e aos finais de semana unindo PMs de mais municípios. Mas enquanto a guarnição está numa cidade, os criminosos podem atacar na outra. A esperança é que com o novo concurso, anunciado pelo Governo do Estado, os municípios recebam mais brigadianos. Os bancos e município também podem investir em mais medidas de segurança, inclusive com câmeras de videomonitoramento e vigilância.

Para ontem, terça-feira, estava programada a inauguração do novo posto da Brigada Militar. Como ele fica bem ao lado do Bradesco, acabou sofrendo alguns danos, inclusive tendo os vidros quebrados. De acordo com o comandante do 5º BPM, major Iber Giordano, após reunião com o prefeito Fernando Schrammel (PSDB), uma nova data deverá ser marcada para a inauguração.


Medidas por mais segurança
Lideranças marataenses, o tenente-coronel Marcos Vinícius Souza Dutra, o major Giordano e o capitão Luiz Henrique Suzinda se reuniram na tarde de ontem para discutir medidas de melhoria na segurança pública do Município. A equipe de patrulhamento na cidade deverá ser ampliada.

Também deverá ser criado um Gabinete de Gestão Integrada com representantes de vários setores. Está se estudando a possibilidade de conversar com os responsáveis das agências bancarias para excluir os caixas eletrônicos por um período indeterminado, entre outras medidas.

Como forma de garantir maior segurança da população e aproveitando a pauta da reunião, foi solicitado também o reforço em relação ao efetivo policial para o patrulhamento nos dias em que será realizada a 14ª Oktoberfest. Ainda ficou definido que será solicitada uma audiência com o secretário estadual de Segurança Pública, Cezar Augusto Schirmer, para tratar o assunto.

OFERECIMENTO:

colunas e blogs

o Vale quer saber

Não há enquetes disponíveis para votação no momento


Escritrio Comercial S. S. do Ca:
Avenida Dr. Bruno Cassel, 179
Fone / Fax: (51) 3635-1900

Escritrio Comercial Montenegro:
Rua Oswaldo Aranha, Via Verde, 1467
Fone / Fax: (51) 3632-9680

Administrao:
Rua Fato Novo, N 11
Fone / Fax: (51) 3635-1428

Contato
Todos os Direitos Reservados | Jornal Fato Novo | Vale do Ca | RS | Por Nigma Agncia Digital