OFERECIMENTO:
Segunda-Feira, 13 de Outubro de 2014 - Hora:13:41

Edição n° 113, de 11 a 17 de outubro de 1983

Resumo de notícias de 30 anos atrás

Dona Gertrudes não se considera velha

Dona Gertrudes: 108 anos com muita alegria

Com 108 anos a capelense Gertrudes Pires Machado é um exemplo de vitalidade e bom humor. Ela parece nem lembrar a idade que tem e busca manter-se sempre jovem. Quando lhe perguntam a idade, ela responde ao pé da letra: "Manda botar uma música na vitrola que eu mostro a minha idade dançando”.

Há dez anos dona Gertrudes sofreu um acidente sério, quando uma pilha de sacos de arroz caiu por cima dela. Não fosse isso, ela estaria ainda em boa forma.

Dona Gertrudes era casada com Hortêncio Koch, falecido há 48 anos, teve nove filhos, sendo três já falecidos.

Ainda costura à mão, conseguindo colocar a linha na agulha sem óculos. Ela come de tudo e zanga-se quando querem lhe dizer que ela não pode comer algumas coisas.

Esta senhora sempre foi uma lutadora na vida, e nunca mediu esforços para superar as mais diversas dificuldades que encontrou pela frente. Agora, nos seus 108 anos, Dona Gertrudes gosta de recordar o passado, e as lágrimas de saudade escorem-lhe no rosto, tão marcado pelos anos, mas que mostram a pureza e a simpatia desta avó, que tantas histórias bonitas têm para nos contar.


Três garotos foram pescar no rio e a correnteza os levou

No último domingo o rio Caí estava muito cheio, transbordando em diversos lugares. Mesmo assim, três aventureiros resolveram sair rio abaixo, num caico abandonado no estreito, um pouco abaixo onde residem os irmãos Valdomiro (13 anos) e Claudiomiro (11 anos), no final da rua São João, no bairro Navegantes, costeando o rio. Antônio (13 anos), o Tonho, como é mais conhecido, reside em Capela de Santana e estava passeando no Caí na casa da irmã Juraci Terezinha Briolo. Entusiasmou os dois irmãos para que fosse no passeio. Pretendiam pescar, pois levaram duas linhas e até uma enxadinha para "arrancarem" minhocas. Os seus remos eram pedaços de caixas de frutas com um cabo de um metro.

Levaram também uns casacos velhos para se agasalharem e como companhia o cachorro Totó.

Segundo Valdomiro eles pretendiam voltar num certo ponto do rio, mas não conseguiram, pois a correnteza era muito forte. Resolverão então seguirem adiante na esperança de encontrarem alguma casa. Passaram de Montenegro e por fim encontraram um galpão abandonado, onde passaram a noite e foram encontrados nesta segunda-feira.

Quando o pessoal do resgate se aproximou, Tonho fugiu amedrontado e só foi encontrado pelo pai, mais tarde, andando pelo centro de Montenegro.

 


DDD em Bom Princípio o melhor negócio do momento

Tendo em vista a enorme importnacia que tem a implantação de uma central de telefonia DDD para o desenvolvimento do município, o próprio prefeito Hilário Junges está se empenhando em visitar os interessados em adquirir telefones incentivando-os a fazerem a aquisição imediatamente. É muito importante que isso ocorra, pois quanto mais depressa forem vendidos os 150 telefones necessários à viabilização da central, mais depressa ela será instalada.



Eletrificação no Hortêncio 

Com o crescimento das industrias no município, está havendo uma reforma geral na posteação da rede eletrica que liga o Caí a aquele destrito.

Segundo o vereador Oscar Kiefer, aqueles postes são ainda da primeira rede instalada em 1958.

 

colunas e blogs

o Vale quer saber

Qual melhor solução para reduzir as enchentes?
Remoção de famílias
Canal do rio
Dique
Nenhuma alternativa


Escritório Comercial S. S. do Caí:
Avenida Dr. Bruno Cassel, 179
Fone / Fax: (51) 3635-1900

Escritório Comercial Montenegro:
Rua Oswaldo Aranha, Via Verde, 1467
Fone / Fax: (51) 3632-9680

Administração:
Rua Fato Novo, Nº 11
Fone / Fax: (51) 3635-1428

Contato
Todos os Direitos Reservados | Jornal Fato Novo | Vale do Caí | RS | Por Nigma Agência Digital