OFERECIMENTO:
Montenegro - Segunda-Feira, 30 de Janeiro de 2017 - Hora:17:13

Estado paga atrasados ao Hospital Montenegro, mas impõe novo contrato

A partir de março os repasses serão inferiores aos atuais com a promessa de se manterem em dia

Gabbardo diz que nova proposta pode manter sem atrasos /ACOM Câmara

Uma boa notícia para comunidade do Vale do Caí. Em audiência com lideranças políticas da região e a direção do Hospital Montenegro, o secretário de Saúde do Estado, João Gabbardo dos Reis, fez uma proposta ao HM para colocar os repasses em dia. Até fevereiro, serão R$ 15,4 milhões. Em contrapartida, um novo contrato será assinado, com valores inferiores aos atuais, com a promessa de que não haverá atrasos. A audiência realizada no gabinete do secretário, em Porto Alegre, contou com a participação de prefeitos, vereadores e secretários de saúde dos municípios. Gabbardo primeiro ouviu atentamente as colocações dos presentes, manifestação do diretor do Hospital Montenegro, Carlos Batista da Silveira, e do presidente da Associação dos Municípios do Vale do Caí (Amvarc), Darci Lauermann.

Logo na sua manifestação, ele fez duras críticas aos contratos encontrados na Secretaria, feitos pelo governo anterior.

Segundo ele os contratos assinados pelo ex-governador Tarso Genro são impagáveis. Em seguida, apresentou uma proposta aos presentes, direcionada ao Hospital Montenegro: “Coloco em dia todos os repasses, totalizando R$ 15,4 milhões, porém precisamos reduzir R$ 400 mil no novo contrato a partir de março de 2017”, propôs. Hoje, as parcelas mensais somam R$ 2.227.000,00. Completando, Gabbardo explicou que essa medida somente será implementada a partir da efetivação de um financiamento do Estado junto ao Banrisul para garantir o montante da dívida em sete parcelas.

Segundo o secretário de Saúde, as dívidas junto ao hospital chegam a R$ 10 milhões, portanto, ficam R$ 5 milhões de saldo positivo para serem gerenciados. Gabbardo sugeriu também que o administrador do HM faça negociações no sentido de reduzir os custos. Completando, disse não ter nenhuma objeção que a casa de saúde também atenda convênios para melhorar o orçamento.

O presidente da Amvarc, Darci Lauermann, assim que foram discutidos os detalhes da possibilidade do repasse que vai gerar um alívio nas contas do HM, pediu que sejam retomados os atendimentos de especialidades médicas. Outra solicitação é de que a Amvarc possa participar das negociações dos novos contratos. O diretor do Hospital, Carlos Batista da Silveira, observou que, com a redução do contrato, será necessária uma nova adequação, já que serão R$ 400 mil mensais a menos. A partir de agora, é necessária a operacionalização burocrática para que o repasse dos R$ 15 milhões aconteça e também a formalização deste novo contrato.

OFERECIMENTO:

colunas e blogs

o Vale quer saber

Não há enquetes disponíveis para votação no momento


Escritório Comercial S. S. do Caí:
Avenida Dr. Bruno Cassel, 179
Fone / Fax: (51) 3635-1900

Escritório Comercial Montenegro:
Rua Oswaldo Aranha, Via Verde, 1467
Fone / Fax: (51) 3632-9680

Administração:
Rua Fato Novo, Nº 11
Fone / Fax: (51) 3635-1428

Contato
Todos os Direitos Reservados | Jornal Fato Novo | Vale do Caí | RS | Por Nigma Agência Digital