OFERECIMENTO:
Montenegro - Quarta-Feira, 04 de Julho de 2018 - Hora:08:00

Igreja “Redonda” pode ter o primeiro casamento gay no religioso

Matrimônio igualitário já é permitido pela Igreja Episcopal Anglicana

Matrimônio igualitário já é permitido pela Igreja Episcopal Anglicana | Reprodução/FN

Foi autorizada pela Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB) a celebração de casamentos entre pessoas do mesmo sexo. É uma decisão ainda recente, mas é a primeira igreja a permitir matrimônios homoafetivos.

Em Montenegro a Igreja Episcopal Anglicana tem o seu templo na Rua Osvaldo Aranha, em frente à Casa do Produtor. É a chamada igreja redonda, em razão da arquitetura do prédio, que chama muito a atenção. E é neste local que poderá ocorrer em Montenegro e na região o primeiro casamento gay no religioso. Conforme o reverendo Ives Vergara Nunes, pároco da Paróquia do Espírito Santo, em Montenegro, o casamento igualitário foi aprovado no concílio Diocesano realizado no mês passado em Porto Alegre, por 47 votos a 6. A Congregação Nacional também já tinha aprovado. “É fruto de uma ampla trajetória de reflexão e debate”, afirma, citando que foram ouvidos relatos sobre o sofrimento das pessoas. “Alguns casais homoafetivos já vinham recebendo bênçãos. Mas não era um casamento”, esclarece.

Para o reverendo Ives, o importante é que está se eliminando qualquer tipo de discriminação, permitindo que as pessoas possam amar e serem felizes. Ele lembra que o casamento homoafetivo, no civil, já é realizado no Brasil faz cinco anos. Mas no religioso a maioria das igrejas ainda resiste. Na Igreja Episcopal Anglicana agora isso é possível. Mas por ser ainda uma decisão muito recente, não chegou a ocorrer nenhum casamento gay religioso no Estado. Ives lembra que segue o mesmo desenrolar de um casamento heterossexual. O casamento depende da aprovação do bispo e ates da celebração tem o curso preparatório.

O reverendo Ives lembra que na Igreja Episcopal Anglicana também podem se casar pessoas que já foram casadas antes no religioso, inclusive em outras religiões, mas que depois acabaram se separando. Após oficializado o divórcio e feito o novo casamento no civil, pode ocorrer então a celebração religiosa.

Mayara e Fernanda
De acordo com o reverendo Ives, em Montenegro duas mulheres já procuraram a igreja “redonda” para buscar informações a respeito do casamento igualitário. Os seus nomes não foram informados, já que ainda estão avaliando esta possibilidade, mas podem ser as primeiras do mesmo sexo a se casarem no religioso na região.

Durante programa na rádio América, semana passada, que teve a participação do reverendo Ives, por telefone falou Mayara Machado, que reside em Porto Alegre. Ela é casada no civil com Fernanda Lipert. As duas têm um relacionamento de 7 anos. Integrantes da Igreja Episcopal Anglicana, elas já receberam a bênção em 2016.

Mayara, de 33 anos, e Fernanda, de 32 anos, agora querem casar também no religioso. “Queremos oficializar o nosso casamento nos livros da igreja. Talvez até com outros casais, numa celebração coletiva”, propõe.

Mayara lamenta que ainda exista muita discriminação. Prova disso são comentários preconceituosos em redes sociais. Mas agradece o apoio que recebeu, principalmente da família, amigos e colegas. “No casamento civil entrei com meu pai e a Fernanda com o pai dela”, recorda.

OFERECIMENTO:

colunas e blogs

o Vale quer saber

Não há enquetes disponíveis para votação no momento


Escritório Comercial S. S. do Caí:
Avenida Dr. Bruno Cassel, 179
Fone / Fax: (51) 3635-1900

Escritório Comercial Montenegro:
Rua Oswaldo Aranha, Via Verde, 1467
Fone / Fax: (51) 3632-9680

Administração:
Rua Fato Novo, Nº 11
Fone / Fax: (51) 3635-1428

Contato
Todos os Direitos Reservados | Jornal Fato Novo | Vale do Caí | RS | Por Nigma Agência Digital