OFERECIMENTO:
Capela de Santana - Quarta-Feira, 04 de Outubro de 2017 - Hora:08:00

Mulher é sequestrada, presa em cativeiro e assassinada

Corpo foi encontrado em quadra de esportes de uma escola

Débora Farias ficou refém antes de ser executada a golpes de facão /Polícia Civil

Em menos de 72 horas a Polícia Civil esclareceu um crime brutal ocorrido em Capela de Santana no último final de semana.

Uma mulher de 39 anos foi sequestrada, mantida como refém num cativeiro e depois foi assassinada.

O corpo de Débora Elisangela Farias, a “Debrinha”, foi encontrado na manhã do último sábado, por volta de 10 horas, na quadra de esportes do antigo prédio da Escola Estadual Almeida Ramos, na Avenida Coronel Orestes Lucas – centro da cidade.

Apresentava várias marcas que teriam sido de golpes de facão, principalmente na cabeça e tronco. Um morador que passava pelo local acabou avistando o corpo e avisou a Brigada Militar.

Sob comando do delegado Rodrigo Zucco, titular da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos de São Leopoldo e que responde também por Capela de Santana, a investigação iniciou ainda no final de semana. De acordo com o comissário Everton Bach, foram feitas diligências que levaram até uma casa em Capela que teria sido utilizada como cativeiro. No local a vítima teria ficado horas amarrada e amordaçada numa cadeira. Foram encontradas tiras de um lençol que teriam sido usadas para amarrar Débora, além de roupas sujas de sangue. O facão e o acusado de cometer o crime não foram localizados. Mas a Polícia esclareceu o homicídio.

Conforme apurou a Polícia, a ordem para matar “Debrinha” teria partido de dentro de um presídio, a mando de uma facção criminosa. O motivo do assassinato teria sido por ter sido testemunha num processo que investiga um duplo homicídio ocorrido um ano atrás, também em Capela, quando um casal foi morto por engano na frente dos três filhos pequenos. A Polícia já sabe quem teria matado e quem teria mandado matar Débora.

A vítima era moradora de Capela, mas não tinha residência fixa. Em razão do vício, costumava ser vista perambulando pelas ruas e esteve envolvida em alguns delitos. A Polícia agora procura prender os envolvidos no homicídio. Qualquer informação pode ser passada, mesmo de maneira anônima, para o telefone 3698 1377, da Delegacia.

OFERECIMENTO:

colunas e blogs

o Vale quer saber

Não há enquetes disponíveis para votação no momento


Escritório Comercial S. S. do Caí:
Avenida Dr. Bruno Cassel, 179
Fone / Fax: (51) 3635-1900

Escritório Comercial Montenegro:
Rua Oswaldo Aranha, Via Verde, 1467
Fone / Fax: (51) 3632-9680

Administração:
Rua Fato Novo, Nº 11
Fone / Fax: (51) 3635-1428

Contato
Todos os Direitos Reservados | Jornal Fato Novo | Vale do Caí | RS | Por Nigma Agência Digital