OFERECIMENTO:
Maratá - Sábado, 06 de Janeiro de 2018 - Hora:08:00

No primeiro dia como prefeito, Dino é baleado em tentativa de assalto

Vice-prefeito reagiu e caiu de escada junto com assaltante

Prefeito em exercício levou tiro no dedo e machucou o pé /Guilheme Baptista/FN

O vice-prefeito de Maratá, Gilberto Martins, o Dino, falou sobre a tentativa de assalto que sofreu na noite da última terça-feira, 2 de janeiro, quando acabou sendo baleado numa das mãos.

Dino voltava para casa, na localidade de Macega, após ter participado, junto com o prefeito Fernando Schrammel e outras lideranças da região, de uma reunião em Montenegro com o ministro do Desenvolvimento Social, deputado Osmar Terra.

Ao chegar em casa, por volta de 22h30min, quando subia as escadas para o segundo andar da residência foi abordado por dois homens encapuzados e armados. Assustado, diz que reagiu e na luta corporal acabou rolando os 22 degraus da escada junto com um dos criminosos. Um dos bandidos efetuou dois disparos, sendo que um atingiu de raspão o dedo mínimo da mão esquerda do vice-prefeito. Na queda também acabou torcendo o tornozelo esquerdo.

Ao chegar em casa, Dino diz que não notou nada de diferente. Lembra que a esposa abriu o portão para colocar o carro na garagem. Somente quando subia as escadas para o segundo piso e que foi atacado por trás e logo viu que tinham os dois bandidos encapuzados dentro da casa. “Caí por cima de um e rolamos escada abaixo”, conta. Já no primeiro piso, após ouvir dois disparos, viu que tinha sido atingido no dedo da mão, onde saia sangue. E achou que também no tornozelo, mas depois descobriu que no pé era porque tinha torcido na queda. “Pulei e corri gritando por socorro. Estava muito escuro, mas logo os vizinhos vieram”, recorda. Enquanto isso os bandidos fugiram pelo mato e não foram mais localizados. Em seguida chegaram ambulância e a Brigada Militar. Os PMs fizeram buscas, mas não encontraram nenhuma pista dos criminosos. Os assaltantes fugiram sem levar nada.

A esposa e o casal de filhos do vice-prefeito, de 10 e 4 anos, também chegaram a ser rendidos, mas não sofreram ferimentos. “Eles ficaram muito nervosos”, lamenta Dino, sobre o trauma na família. Dino diz estar arrependido de ter reagido ao assalto, por colocar a família em risco. Mas alega que foi no impulso, na hora de ter sido atacado. “Na hora a gente não sabe o que vai fazer, mas o bom é não reagir”, admite. Ele cita que a casa possui sistema de videomonitoramento, com oito câmeras, mas o armazenamento estava cheio e não registrou imagens da tentativa de assalto. Em razão do roubo, o vice-prefeito pretende reforçar a segurança, inclusive contratando vigilante. A Polícia Civil investiga o caso.

Agricultor, Dino está no segundo mandato como vice-prefeito, tendo sido reeleito em 2016 junto com o prefeito Fernando.

No dia da tentativa de assalto ele estava no primeiro dia como prefeito em exercício, já que Fernando entrou em férias até 27 de janeiro. Mesmo com curativo no dedo e o tornozelo inchado, continua trabalhando. E destaca a necessidade de mais segurança. Maratá teve duas explosões de banco em assaltos no ano passado e continua sendo alvo dos bandidos.

OFERECIMENTO:

colunas e blogs

o Vale quer saber

Não há enquetes disponíveis para votação no momento


Escritório Comercial S. S. do Caí:
Avenida Dr. Bruno Cassel, 179
Fone / Fax: (51) 3635-1900

Escritório Comercial Montenegro:
Rua Oswaldo Aranha, Via Verde, 1467
Fone / Fax: (51) 3632-9680

Administração:
Rua Fato Novo, Nº 11
Fone / Fax: (51) 3635-1428

Contato
Todos os Direitos Reservados | Jornal Fato Novo | Vale do Caí | RS | Por Nigma Agência Digital