OFERECIMENTO:
Sexta-Feira, 29 de Novembro de 2013 - Hora:16:00

Os famosos Mercados de Natal da Europa

Que tal comprar os presentes numa feira montada da mesma maneira há mais de 400 anos?

Na Alemanha, o Mercado de Natal é um evento esperado todos os anos

O Mercado de Natal teria surgido em meados do Século XV e a cidade de Dresden, na Alemanha, reivindica para si a ideia original, mas o fato é que até hoje faz enorme sucesso e movimenta milhares de euros todos os anos.

Na Alemanha, as comemorações do Natal começam quatro semanas antes do dia 25, quando se fazem a “Adventskranz” - Coroa de Advento - são arranjos com ramos de pinheiro ou azevinhos e quatro velas, geralmente vermelhas, roxas ou coloridas; a cada domingo acende-se uma vela para que, ao chegar no último domingo antes do Natal, as quatro velas estejam acesas. A tradição da Coroa de Advento é mantida pela maioria das Igrejas de Confissão Luterana em todo o Brasil e também pela Igreja Católica.

Voltando à Alemanha, paralelamente, em todos os lugares montam-se cabanas de madeira cheias de luzes e nelas o conto do Papai Noel se repete.

É nessa mesma época do ano que se espalha no ar o aroma dos quitutes típicos das festas de dezembro, fartamente encontrados no Mercado de Natal - “Der Weihnachtsmarkt” - onde geralmente são vendidos artigos típicos da ocasião tais como bonecos quebra-nozes, figuras de madeira, latas de biscoitos, brinquedos, velas de cera de abelha, bolas de vidro, estrelas brilhantes, chocolates, doces e outras iguarias tradicionais. Além disso, no mesmo espaço concentram-se apresentações culturais de vários gêneros e programação especial para crianças.

Por toda parte, o clima é mesmo de um conto de fadas; no ar, espalha-se o aroma do vinho quente, dos doces e das amêndoas torradas.

Conta-se que estes mercados ficaram mais populares depois de 1517 quando ocorreu a Reforma Luterana criando novos hábitos entre a população, as crianças passaram a ganhar presentes do Menino Jesus, no dia de Natal, criando-se assim o “Christkindlsmarket”, nome popular dado ao Mercado de Natal no sul da Alemanha. Vale lembrar que anteriormente a troca de presentes ocorria em 11 de novembro, Dia de São Martinho, e no dia 06 de dezembro, data consagrada a São Nicolau. Conta-se ainda que teria sido o líder reformador Martinho Lutero o primeiro a enfeitar um pinheiro com luzes, simbolizando o nascimento de Jesus, a Luz do Mundo.

Berlim, a capital alemã, tem cerca de 59 mercados, sendo que um dos mais famosos é o Weihnachtsmarkt City, com mais de 100 barracas nas quais se encontra, entre outras coisas, joalheria, cerâmica e antiguidades.

O Alter Market (“Mercado Velho”) fica bem no centro de Colônia é o preferido das crianças porque ali está a gruta do Papai Noel e ainda tem teatro de marionetes, bonecos de madeira, carrossel, algodão doce e bolacha de gengibre.

Em Dresden, o Striezelmarkt é tido como o mais antigo e as suas quase 250 barracas vendem principalmente artesanato, mas os produtos mais famosos por lá são o “Stollen”, ou seja bolo com frutas em forma de pão, e os “Pulsnitzer Pfefferkuchen”, um tipo de pão cujo preparo inclui canela, gengibre, anis, cravo-da-índia e noz moscada.

Em Munique concentra as comemorações de final de ano na Marienplatz, praça histórica bem no centro da cidade; ali as barracas ricamente decoradas alinham-se lado a lado, sendo que a atração principal é uma árvore de 30 metros iluminada por nada menos do que 2500 velas. Isso mesmo, velas.

Em meio aos doces tradicionais encontrados por toda a Alemanha, vale destacar o chucrute, “Bratwurst” ou “Weisswurst”, um tipo de linguiça ou salsicha branca, típica da Baviera;  “Glühwein” (vinho quente); “Kinderpunch”, que é um tipo de ponche sem álcool; “Springerle”, ou seja bolinho de anis muito apreciado por lá; maçãs caramelizadas e chocolate quente.  

No entanto, a Alemanha não está sozinha no cultivo da tradição do Mercado de Natal. Outras cidades europeias também fazem produções primorosas. Destacam-se Amsterdã, na Holanda, com seu Mercado de Fluweelengrot, uma galeria subterrânea ricamente decorada com temas natalinos onde se pode experimentar panquecas acompanhadas de vinho quente. Na Praça Tivoli, em Copenhagen, capital da Dinamarca, as mais de 60 barracas oferecem inúmeros itens natalinos destacando-se as bonecas de porcelana e, especialmente para as crianças, o castelo iluminado de Hans Christian Andersen.

O “Christkindlmarkt”, localizado bem em frente à Câmara Municipal de Viena, na Áustria é o mais clássico e o mais antigo da Europa, já que contabiliza cerca de 700 anos de idade. Sua maior atração são os coros de rua e as atrações voltadas ao público infantil. 

E falando em nosso País, por aqui também temos os nossos mercados de Natal, talvez não com tanta tradição como na Europa e certamente não com a mesma idade, mas que também têm o seu charme e atraem centenas de pessoas. Popularmente os chamamos de Feira, ou Feira de Artesanato. Vale a pena citar aquela que acontece todos os dezembros em Gramado (RS), como sendo um dos eventos do “Natal Luz”, uma das maiores comemorações natalinas e que costuma reunir milhares de turistas; e tem ainda a Feira de Natal, realizada todos os anos na Praça Osório, bem no centro de Curitiba e a tradicionalíssima feira do Largo da Ordem, também em Curitiba.

colunas e blogs

o Vale quer saber

O Vale do Caí está preparado em caso de desastres naturais como o da semana passada?
Sim
Não


Escritório Comercial S. S. do Caí:
Avenida Dr. Bruno Cassel, 179
Fone / Fax: (51) 3635-1900

Escritório Comercial Montenegro:
Rua Oswaldo Aranha, Via Verde, 1467
Fone / Fax: (51) 3632-9680

Administração:
Rua Fato Novo, Nº 11
Fone / Fax: (51) 3635-1428

Contato
Todos os Direitos Reservados | Jornal Fato Novo | Vale do Caí | RS | Por Nigma Agência Digital